Dengue tem aumento de 182% na cidade do Rio






RIO - O número de casos de dengue segue em curva ascendente, mas o superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria municipal de Saúde, Márcio Garcia, afirma que a cidade ainda não enfrenta uma epidemia da doença. Este ano já são 6.565 registros, conforme o boletim semanal divulgado na terça-feira. Somente em janeiro, foram 4.696 casos. No mesmo período de 2011, o número chegou a 1.664 - houve, portanto, um aumento de 182%. No estado, de 1 de janeiro ao dia 25 deste mês, já foram notificados 11.280 casos suspeitos de dengue.

Fiocruz deverá estudar pacientes com dengue

Márcio Garcia ressaltou que, mesmo com o crescente número de casos, não há registro de mortes na cidade desde agosto do ano passado (no estado, ainda não ocorreu qualquer óbito este ano). Uma série de fatores pode estar contribuindo para isso, entre eles a melhoria no atendimento aos pacientes, com os polos de hidratação espalhados pela capital - são 24 até agora e devem chegar a 30 -, e também o fato de o vírus 4 não ser mais agressivo que os outros. O superintendente disse que ainda é cedo para avaliar o que está ocorrendo. A Fiocruz já procurou a Secretaria municipal de Saúde e deve estudar casos de pacientes com dengue tipo 4.

Segundo Márcio Garcia, para que se caracterize uma epidemia, é preciso que, entre outros fatores, a incidência de casos seja maior do que 300 por cem mil habitantes. Em janeiro deste ano, a incidência foi de 75,5 por cem mil.

Em duas semanas, do dia 12 a 25 deste mês, foram registrados 427 casos. No entanto, segundo Márcio Garcia, esse número ainda está defasado, porque a atualização leva cerca de duas a três semanas.

Vírus 4 é responsável por 61,2% dos casos analisados

O vírus tipo 4 da doença, que começou a circular no estado no ano passado, predomina e representa 61,2% das amostras analisadas em laboratório. São 41 casos do tipo 4 da dengue e 25 do vírus 1. Este último representa 37,3% das análises realizadas. As áreas da cidade com maior número de casos continuam sendo Bangu, Realengo, Madureira (e adjacências) e Campo Grande.

Além da capital, exames realizados em amostras de sangue confirmaram a presença do vírus tipo 4 em Belford Roxo, Mesquita, Nilópolis, Niterói e Nova Iguaçu.

Informações sobre possíveis focos do mosquito Aedes aegypti têm sido repassadas ao telefone 1746 da prefeitura. Do total de 23.316 denúncias recebidas desde março de 2011 (quando o serviço foi criado), 97,3% foram atendidas. O restante, segundo a Secretaria de Saúde, está em andamento ou pendente, devido a informações incompletas ou incorretas, como endereço errado ou inexistente. A região da cidade com maior número de ligações é a da Barra da Tijuca, do Recreio dos Bandeirantes e de Jacarepaguá.

Na próxima sexta-feira, das 8h às 10h, será realizada a 10Caminhada de Mobilização Contra a Dengue na cidade, com grupos saindo das unidades municipais de saúde. Os profissionais orientarão a população sobre a identificação de focos do Aedes.

Dengue tem aumento de 182% na cidade do Rio Dengue tem aumento de 182% na cidade do Rio Editado por saude.chakalat.net on 10:28 Nota: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.